quarta-feira, 11 de março de 2015

Deixa as Palavras Voarem | Animais

Lembro-me de teres apenas uns meros centímetros, de te colocar ao lado de um comando de televisão e seres - exactamente - do mesmo tamanho. Lembro-me de chamar-te de "coisa mais linda do mundo" e de tu vires até mim com uma alegria inexplicável e com um amor incomparável. Fomos companheiros, vivemos momentos de felicidade e de tristeza. E, os de tristeza, vinham sempre acompanhados de uns beijinhos teus que me enchiam a alma. Cresceste, e ganhaste muitos centímetros e muitos quilogramas. Eras o meu "grande". Não sei descrever aquilo que por ti sentia, porque era mágico e inesgotável. Era um amor sem fim. Olhavas para mim durante horas e apreciavas a minha companhia e as minhas demonstrações de afecto. Eras teimoso, mas carinhoso. Gostavas de uma boa sesta no sofá, ou até mesmo na cama. Não te cansavas de apreciar a vista através da janela da nossa casa e vibravas quando saias pela porta. Até ao dia em que uma maldita doença te atacou e perdeste o andar. Tudo em mim desmoronou e a tua alegria desapareceu. Deixar-te ir, foi a decisão mais difícil da minha vida e, talvez, a única que nunca irei esquecer. Durante toda a tua doença sofri e ainda hoje penso em ti, com carinho e saudade. Fazes falta, meu lindo cão, meu querido Staff. 


(fotografia da minha autoria) 


Desafio: Deixa as palavras voarem - Março, da Adelisa M

9 comentários:

  1. Até me vieram as lágrimas aos olhos porque também perdi a minha gatinha há menos de um ano e também tive de a ver sofrer muito doente até tomar a decisão de a deixar partir :( é quase como perder um ente querido, um familiar, uma parte de nós

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. r: é verdade, já tínhamos falado do assunto, julgo que ainda no teu outro blogue não foi? ;)
      r1: adorava fazer um intervalo que fosse nesta novela sabes? Aaff, estou mesmo saturada, parece que de repente vim parar a um manicómio e ninguém me avisou!

      Eliminar
  2. É incrível o sentimento que nutrimos pelos animais. E é horrível quando perdemos o nosso querido amigo. Não consigo imaginar quando irei estar nessa situação :s Obrigada pela participação

    ResponderEliminar
  3. Isto não se faz, pá. Tinha acabado de mimar a minha velhota de 15 anos, que está ali a olhar para mim, como se sentisse que, de repente, eu fiquei triste.
    É que estes seres, são tudo aquilo que gostaríamos de ver nos nossos semelhantes, são como os filhos onde projetamos todas as nossas ambições frustradas, são o exemplo de amor incondicional que nenhum humano nos pode dar, porque nós contabilizamos até o amor. Eles não. :'(

    ResponderEliminar
  4. Os animais são incríveis, pois conseguem amar incondicionalmente, e isso é algo que muitos humanos (demasiados!) não são capazes. Não imagino o que será perder um amigo desses...
    ***

    ResponderEliminar
  5. Ai, como te compreendo a tua dor. Ainda hoje penso na minha Sakura (era uma gatinha linda) que por causa de um problema no intestino, teve que ir embora. Chorei tantos dias seguidos... Tantos, mas tantos. Mas isso só fez com que o meu amor pelos animais fosse ainda maior. Mas às vezes tenho medo que de voltar a passar por tudo outra vez. :(

    ResponderEliminar
  6. É triste que tenha acontecido assim.

    Isabel Sá
    https://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar